pc@paulopneumo.com.br    |   

O que significa o desvio do septo?

Conceito

Nosso nariz é como se fosse um telhado com estruturas internas que precisam estar bem distribuídas. Assim, o desvio de septo é uma alteração em uma dessas estruturas - mais precisamente, na “parede” que separa as narinas em duas fossas nasais, o septo. Pode acontecer em decorrência de pancadas na região, inflamações locais, alterações anatômicas da puberdade, mas frequentemente é uma condição congênita que já atinge cerca de 38 milhões de brasileiros, de acordo com a Academia Brasileira de Rinologia.

Sintomas

Normalmente provoca sintomas como dores de cabeça ou no rosto, sangramentos nasais, ronco (respiração bucal), fadiga, apneia do sono, sensação constante de nariz entupido e, principalmente, dificuldade de respiração. Por isso, a princípio, quem sofre com o problema deseja logo se submeter a uma cirurgia para corrigi-lo, mas nem sempre é necessário. O desconforto é diretamente proporcional à localização da obstrução (tortuosidade) ao longo do nariz - quanto mais na ponta, pior. Ainda assim, a correção de alterações na função respiratória nasal, como desvio de septo, são a segunda maior causa de operações. A primeira é por razões estéticas.

Diagnóstico

Geralmente os sintomas despertam a desconfiança sobre algo errado no nariz a partir da adolescência, quando há um crescimento do osso e da cartilagem nasal, resultando na inadequação das estruturas. O diagnóstico pode ser feito com o otorrinolaringologista ou com o pneumologista, que utilizam instrumentos para abrir as narinas e, assim, conseguir visualizar o interior do nariz. Se o próprio médico não for também cirurgião, deve indicar um colega para realizar o procedimento, caso seja necessário.

Tratamento

Ao optar por uma intervenção cirúrgica, é bom saber como funciona o procedimento. A cirurgia é simples, rápida e consiste em remover a porção tortuosa (raspagem) do nariz. A recuperação costuma ser rápida, de modo que o paciente pode ter alta no dia seguinte, retomar sua rotina em até 14 dias e suas atividades físicas em até um mês. Porém, requer alguns cuidados nos primeiros dias por conta do inchaço e da dificuldade para respirar. O quadro vai melhorando na medida em que as medicações prescritas pelo cirurgião vão fazendo efeito.

Fonte: Medical Site

26 de Dezembro de 2019

Agende sua consulta!