pc@paulopneumo.com.br    |   

As doenças respiratórias no verão

A poluição, o clima seco, a baixa umidade e as altas temperaturas do verão formam um combo perfeito para o gatilho de doenças respiratórias preexistentes, aumentando os índices na estação mais quente do ano. As doenças mais comuns nessa época são as infecções de vias aéreas superiores, como sinusite, faringite e amigdalite. Mas ainda é grande a incidência de gripes em geral, pneumonia e asma.

Isso acontece porque o clima seco propicia a permanência dos poluentes por mais tempo no ar, contribuindo para o desconforto respiratório. Para não passar os dias de verão com disposição de inverno, adote os seguintes hábitos:

Mucosas hidratadas estão protegidas dos poluentes. Ingira bastante líquido, de acordo com seu tipo físico;

Hidratação intensa para idosos e crianças, pois a mucosa deles resseca muito mais rápido. Ofereça líquidos com frequência;

Umidificadores caseiros são ótimos para manter a casa com a umidade que precisa para diminuir a secura do ar. Também pode ser feito com toalhas ou bacias de água, especialmente nos ambientes mais fechados;

Exercícios físicos ao ar livre devem ser evitados entre 10h da manhã e 16h da tarde. Nesse período, no verão, a liberação de ozônio é maior e respiramos mais poluentes;

Ambiente arejado, bem ventilado e limpo afasta os riscos de doenças respiratórias. Se puder, mantenha os ambientes que você frequenta nesses moldes.

Mudanças bruscas de temperatura ambiente podem provocar choque térmico e debilitar o sistema imunológico. Evite os ambientes super climatizados.

Ambientes empoeirados, perfumes, produtos químicos e cigarro devem ser ainda mais evitados nessa época.

O verão de 2019, porém, está mais parecido com um clima de outono: frio pela manhã, calor à tarde e chuva noite adentro. Segundo os meteorologistas, não é comum. Embora a quantidade de chuvas esteja dentro do esperado, está mal distribuída. Mesmo com oscilações na temperatura, no entanto, os resultados são exatamente os mesmos: gripes e resfriados. A imunidade baixa e logo aparecem sintomas como garganta irritada, crise de espirro, dor de cabeça e no corpo, coriza, tosse crônica.

Pessoas que já têm predisposição a doenças respiratórias são as que mais sofrem pelos sintomas agravados e acabam correndo para as farmácias em busca de vitaminas. No entanto, as vitaminas que o nosso corpo precisa podem ser supridas por uma alimentação saudável e equilibrada. Exceto para quem possui uma imunidade comprometida, como crianças, idosos e gestantes. Fique atento!

Fonte: Medical Site

19 de Dezembro de 2019

Agende sua consulta!